Views

Histats

Vitrine

Relax - Meu Jardim numa Garrafa - David Latimer

























|

O simpático senhor acima David Latimer, em 1960, inseriu algumas sementes de Tradescantia ou , Spiderworts numa garrafa. Em 1972 a fechou e nunca mais a abriu.

Percebeu? Na última ocasião em que regou, Ted Heath era o Primeiro-Ministro e Richard Nixon estava na Casa Branca. 


Hoje, em 2013, 41 anos depois, a planta continua desenvolvendo-se sem nunca ser preciso retirá-la do garrafão.



David queria testar uma teoria de que as plantas podiam existir em um ambiente auto-suficiente e enterrou quatro mudas no solo, bem no fundo de um pote enorme de vidro 1960. Três das espécies desapareceram, morrendo depois de David ter selado a garrafa de 10 litros com uma rolha, mas a quarta floresceu.




David Latimer, engenheiro elétrico aposentado com 80 anos, só regou a planta duas vezes - sendo a primeira vez com um litro de água em 1960 e a última em 1972, quando selou-a com uma rolha de plástico.

A planta, chamada Spiderworts ou Tradescantia em latim, tem folhagem verde saudável, que encheu o frasco de grandes dimensões arredondadas que uma vez que conteve ácido sulfúrico.


Assim como qualquer outra planta, a espécime de David sobreviveu e prosperou dentro do ciclo de fotossíntese, apesar de estar 'cortada' do mundo exterior, exceto pela luz solar que recebe diariamente. David, mantém a planta engarrafada sob as escadas em sua casa em Cranleigh, Surrey, onde tem estado nos últimos 27 anos.





A Sra. Gretchen, 81, com quem David é casado, comentou: "É incrivelmente chato não ter de fazer nada, mas, ao mesmo tempo, é interessante de se olhar. Algumas pessoas que conheço não vêem qual o sentido disso, mas a verdade é que não há nenhum. O ponto é só ver quanto tempo dura."

David disse: "Comecei na Páscoa de 1960, quando ter jardins engarrafados era uma grande mania. Foi quando tive a ideia para ver se as plantas poderiam sobreviver num ambiente totalmente isolado, e ver quanto tempo duraria. E ainda está aí, até hoje."


"Não desejo livrar-me dela, pretendo deixar para meus filhos. Foi uma experiência e ainda é.", disse David.


Esse maravilhoso jardim foi revelado ao mundo quando David tirou uma foto e a enviou para a Rádio BBC para Jardineiros, um periódico local de perguntas, pedindo ao painel de especialistas se o seu caso era de interesse científico. 



O designer de jardins e apresentador de televisão Chris Beardshaw disse: "É um grande exemplo da maneira pela qual a planta é capaz de reciclar ... É o ciclo perfeito da vida.E acrescentou que este processo é uma razão pela qual a NASA estava interessada em colocar plantas no espaço.  As plantas operam como excelentes purificadores, tirando poluentes do ar, de modo que uma estação espacial pode efetivamente tornar-se auto-sustentável", disse ele.

MAS COMO POSSO FAZER O MEU PRÓPRIO TERRÁRIO ?

Não há como ler este post e não ficar com vontade de montar um terrário não é mesmo?

Que tal tentar aplicando as técnicas demonstradas por Grace Bonney no video abaixo:



COMO É POSSÍVEL QUE JARDINS CRESÇAM EM GARRAFAS ?
Os Jardins em garrafas crescem porque o seu espaço fechado cria um ecossistema totalmente auto-suficiente em que as plantas podem sobreviver por meio da fotossíntese, reciclando os nutrientes.

Na verdade, a planta não está 'totalmente isolada' do mundo exterior. A transparência do vidro permite que a luz externa necessária para manter a planta entre, já que isto lhe dá a energia que necessita para criar a sua própria comida, continuando a crescendo. A

luz sobre as folhas da planta é absorvida pelas proteínas que contêm clorofila (o pigmento verde).



Parte dessa energia solar é armazenada sob a forma de trifosfato de adenosina (ATP), a molécula que armazena a energia. O restante é usado para remover elétrons a partir da água que é absorvida a partir do solo pelas raízes das plantas.

Estes elétrons ficam 'livres' e são usados ​​em reações químicas que convertem o dióxido de carbono em hidrato de carbono, liberando oxigênio.


Este processo de fotossíntese é o oposto da respiração celular que ocorre em outros organismos, incluindo nós humanos, no qual os hidratos de carbono reagem com o oxigênio para produzir dióxido de carbono, água e a energia química liberada.


Mas o eco-sistema também usa a respiração celular para quebrar o material em decomposição produzido pela planta. Nesta parte do processo, as bactérias no interior do solo do jardim na garrafa absorvem o oxigênio da planta, bem como os resíduos de dióxido de carbono liberados que a planta em crescimento pode reutilizar.


E, claro, à noite, quando não há luz solar para conduzir a fotossíntese, a planta também utilizará a respiração celular para manter-se viva por quebrar os nutrientes armazenados. 


Como o jardim garrafa é um ambiente fechado, todo o ciclo da água também ocorre contido. A água na garrafa é absorvida pelas raízes das plantas e libertada para a atmosfera durante a transpiração, condensando-se na superfície interna do envasamento, onde o ciclo inicia-se novamente.





brazilsalesforceeffectiveness@gmail.com

✔ Brazil SFE®Author´s Profile  Google+   Author´s Professional Profile   Pinterest   Author´s Tweets

✔ VBA Brazil®

✔ VBA Brazil®
brazilsalesforceeffectiveness@gmail.com
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
diHITT - Notícias